Luz e Sombra

Friday, July 08, 2005

Zeca

Gostava de partilhar convosco um poema do cantautor maranhense Zeca Baleiro, um dos melhores e mais eloquentes que o Brasil já viu. A mim, esta música comove-me sempre.

MINHA CASA

É mais fácil cultuar os mortos que os vivos,
mais fácil viver de sombras que de sóis.
É mais fácil mimeografar o passado que imprimir o futuro.
Não quero ser triste
como o poeta que envelhece lendo Maiakóvski na loja de conveniência.
Não quero ser alegre
como o cão que sai a passear com o seu dono alegre
sob o sol de domingo
nem quero ser estanque
como quem constrói estradas e não anda.
Quero no escuro, como um cego, tactear estrelas distraídas.

Amoras silvestres no passeio público,
amores secretos debaixo dos guarda-chuvas,
tempestades que não param,
pára-raios quem não tem,
mesmo que não venha o trem não posso parar.
Vejo o mundo passar
como passa uma escola de samba que atravessa.
Pergunto onde estão teus tamborins,
sentado na porta de minha casa,
a mesma e única casa
a casa onde eu sempre morei.

2 Comments:

  • Gostei muito, não conhecia. Sabes se tem algum livro editado?
    beijinho

    By Blogger Eduarda Sousa, at 5:59 PM  

  • Livro, não lhe conheço nenhum. Isto é uma música que podes encontrar no CD 'Líricas' ou no DVD com o mesmo nome, gravado ao vivo. Recomendo muito este compositor, mais pelas letras fabulosas que escreve.

    By Blogger Earworm, at 6:06 PM  

Post a Comment

<< Home


 

referer referrer referers referrers http_referer