Luz e Sombra

Saturday, January 29, 2005

O estranho caso do cangurito

Uma história tão simples e verdadeira...
Eu felizmente consegui sair da bolsa, mas foi difícil, muito difícil e ainda hoje luto para não voltar para lá!


1. A Mamã Canguru guardava-o na sua bolsa e não o deixava crescer livremente.

2. Cangurito colocou a sua cabecita fora da bolsa, olhou à sua volta e exclamou: "Mamã, que grande é o mundo! Quando é que me deixas sair por aí à descoberta?".

3. A Mamã Canguru respondeu: "Eu própria vou mostrar-to, sem que precises de sair da bolsa. Não quero que te juntes a más companhias, nem que te exponhas aos perigos do bosque. Eu sou uma canguru responsável e decente".

4. Cangurito suspirou profundamente e deixou-se ficar na bolsa da sua mãe, sem protestar... Aos poucos, Cangurito foi crescendo, crescendo... de tal forma que a bolsa da Mamã Canguru começou a rebentar pelas costuras.

5. Ao ver que o filho já quase não cabia na sua bolsa, a Mamã Canguru disse-lhe: "Proíbo-te de continuares a crescer...". Cangurito, obediente, a partir desse momento deixou de crescer.

6. Entretanto, de dentro da bolsa da sua mãe, Cangurito começou a fazer perguntas acerca de tudo aquilo que via à sua volta. Era um animalzinho muito inteligente e mostrava que tinha muito jeito em Matemática.

7. Como não era fácil encontrar as respostas que satisfizessem a curiosidade do seu filhote, a Mamã Canguru ficava muito aborrecida e um dia disse-lhe: "Proíbo-te de voltares a fazer tantas perguntas."

8. Cangurito, que cumpria as normas de obediência dos pais, deixou de fazer perguntas... e ficou com cara de aborrecido.

9. Um dia, Cangurito viu passar uma Cangurita da mesma idade. Era a "canguru" mais bonita que ele jamais tinha visto em toda a sua vida! E, enchendo-se de coragem, disse à sua mãe: "Quero casar-me com essa Cangurita!".

10. A Mamã Cangurita derramou uma lágrima ao mesmo tempo que lhe dizia: "Filhote, queres abandonar-me por uma canguru qualquer? É esta a paga por tudo o que passei e fiz por ti?"

11. Proíbo-te de casares! Proíbo-te de casares!

12. E Cangurito assim fez... Não se casou. E quando a Mamã Canguru morreu, tiraram o Cangurito da bolsa da defunta. Era um animal muito estranho! O seu corpo era pequeno, como o de um recém-nascido, mas a sua cara tinha rugas, como se ele fosse já um animal muito velho.

13. Quando Cangurito tentou pôr-se de pé, no chão, o seu corpo ficou coberto de suores frios. E Cangurito disse assustado: "Tenho medo do chão... tudo parece mexer-se à minha volta!"

14. Os familiares de Cangurito meteram-no num tronco de uma árvore e ele passou o resto dos seus dias com a cabecita de fora do tronco da árvore.

No “Ofício de Pais”, o mais difícil não é dar vida aos filhos, mas sim, dar-lhes a liberdade!

7 Comments:

  • Ai, ai...
    Parece a história da minha vida...
    Mas sabe...
    Eu encontrei a canguru mais linda do mundo...
    E sabe o que mais?
    Estou pulando fora da bolsa...!!!!
    É...
    Não fiquei aqui por que mandaram...
    Fiquei por que não havia nada belo...
    Nada que me fisesse sentir que valia apena fugir...
    Saio agora...
    Por causa do mundo que vejo nos olhos dela...
    Por causa da forma como ela me faz sentir...
    Por causa da vida que ela me mostrou com o seu sorriso...

    Quantas pessoas ainda vivem na bolsa?
    Não sei...
    Eu não viverei!

    Beijos! :)

    By Blogger Du, at 10:23 PM  

  • foi mal... fizesse é com z... ;) LOL
    beijos! :)

    By Blogger Du, at 10:25 PM  

  • grande verdade,menina!
    eu acho que ja saí da bolsa de mama!!!
    Às vezes até penso se terei vontade de dar la uma saltada,mas vejo que ja não caibo e no fundo deixei de querer caber...

    By Blogger Ana João, at 1:10 PM  

  • Eu também consegui sair. MAs foi muito difícil.. Mas saí a tempo e encontrei um canguru muito atraente com que talvez até me case! Às vezes os canguritos, quando são suficientemente fortes também são capazes de ensinar os pais a dar-lhes liberdade...

    By Blogger Joana, at 2:06 PM  

  • Eu ainda não encontrei o meu canguro! e sair da bolsa não é fácil, nada fácil, é uma luta de todos os dias, especialmente quando ainda se mora em casa da mãma. Queremos sair à força, revoltámo-nos, discutimos... mas quando surgem dificuldades corremos para lá...

    By Blogger Eduarda Sousa, at 4:56 PM  

  • Pode até ser difícil sair da bolsa, mas não será compensatório?
    Alegrias, tristezas, riso e choro, não farão eles parte da nossa vida? E que bom é ter uma vida...
    Devemos dar aos nossos filhos a oportunidade de descobrirem o mundo tal como nós tb o fizemos... mais cedo ou mais tarde, depende de cada um de nós.
    ... vida sem ter vida não é vida...

    By Blogger Babies, at 11:59 AM  

  • Dedicada a AV, uma "canguru" que insiste demasiado em ver o mundo para além da sua bolsa... se ao menos quisesses ser livre...!


    Hurt - Nine Inch Nails (The Downward Spiral, 1994)

    I hurt myself today
    To see if I still feel
    I focus on the pain
    The only thing that’s real
    The needle tears a hole
    The old familiar sting
    Try to kill it all away
    But I remember everything
    What have I become?
    My sweetest friend
    Everyone I know
    Goes away in the end
    You could have it all
    My empire of dirt
    I will let you down
    I will make you hurt
    I wear my crown of shit
    On my liar’s chair
    Full of broken thoughts
    I cannot repair
    Beneath the stain of time
    The feeling disappears
    You are someone else
    I am still right here
    What have I become?
    My sweetest friend
    Everyone I know
    Goes away in the end
    You could have it all
    My empire of dirt
    I will let you down
    I will make you hurt
    If I could start again
    A million miles away
    I would keep myself
    I would find a way

    By Blogger Der Überlebende, at 4:24 PM  

Post a Comment

<< Home


 

referer referrer referers referrers http_referer