Luz e Sombra

Thursday, May 26, 2005

DP2: Pressão... (Parte II), por Understandable

Ora bem,

Tempus Fugit (onde é que eu já ouvi isto :)... no entanto ainda temos respostas ao DP2!

Aqui fica a participação de uma nossa amiga recente, a Understandable

Até mais logo,


D.U.



Pressão... (Parte II)

E pronto! Um gajo não pode dar um 'tirozinho' que fico logo esta balbúrdia! Viver na cidade é o que dá.
Já ouço as sirenes lá em baixo, o melhor é levantar-me, dirigir-me à porta e dizer que não foi nada.
Que leve sensação tenho, bem upa, já estou de pé e…………………….. continuo deitado. NÃO ESPERA… EU ESTOU DE PÉ, como posso estar deitado? Como posso estar a ver-me?
Sangue, caçadeira, mesa derrubada, televisão no chão ainda a dar o estrume da quinta dos animais.
Cara está desfigurada, só vejo a testa porque tudo o resto foi-se…… Sim senhor vais com um óptimo aspecto para o caixão…
CAIXÃO? Que estou eu aqui a dizer… eu penso, eu falo.. Se morri onde está a Luz? O túnel? São Pedro para me vir buscar?
51 anos e ainda acreditas nas balelas dos contos do além e do catolicismo barato que te meteram pelos olhos, pois sei…. vou buscar uma amêndoa amarga para ver se penso... melhor
Grande problema, trespasso tudo
BUM BUM BUM CRAHS- porta arrombada, policia a entrar em correria. Quem disse que podiam entrar assim NA MINHA CASA? Quem deu permissão? Já não se bate à porta?
Ninguém me ouve, ninguém me vê, pelo menos a mim em pé, porque para mim deitado olham, ou tentam, EHEHEHEHEHEHEHEHEHEH, não dava nas vistas antes mas agora…
Acabei com tudo, ou melhor com a vida…..
Flash de máquina fotográfica, caçadeira dentro de saco com etiqueta, vizinha do lado a chorar desalmadamente. NOJO- nunca falei com ela, e chora por mim, só porque eu….. porque eu….. por ter…… suicidado!!!!
Nada há a fazer, vou tentar encontrar a Elisa, ela não deve ter ido para o outro lado, se é que existe outro lado, sem mim, não ela é uma fiel companheira, ficaria à minha espera.
Saiu do apartamento, desço as escadas, saiu do prédio cheio de reflexos azuis, volto à esquerda, entro na rua estreita e vou ter com o meu destino……..

26 de Maio de 2005,

Understandable

5 Comments:

  • gostei deste final, embora não sou fá de finais tristes, mas um final onde ficamos a pensar na continuação é interessante

    By Blogger Dasha, at 7:06 PM  

  • Gostei do húmor negro do teu texto ("Já não se pode dar um tirinho..."). Matar-se, mas sem ressentimentos, sem auto-comiseração, hein?! :-) "Se te queres matar, porque não te queres matar?", dizia o Pessoa, não era? Este queria mesmo. E sem dramas. Quem sabe... do outro lado... uma saída airosa? Gosto muito da ideia de um outro lado onde pode tudo começar de novo, iluminado por "reflexos azuis".

    By Anonymous Anonymous, at 12:02 AM  

  • loool o teu texto fez-me rir sem lhe diminuir a seriedade do descrito, realmente o humor negro no teu texto esta apuradissimo, a tua personagem nao ta mt perturbada pelo facto de ter morrido e tal esta mais perturbada com o modo como as coisas correm na vida em sociedade, muito bom

    beijo*

    By Blogger Perséfone, at 12:38 PM  

  • Quem me faz soltar uma gargalhada com humor inteligente, já ganhou! Excelente! Adorei! E viva a amêndoa amarga!Ah! Ah! Ah! Ah!
    Beijinhos grandes
    Shakti

    By Anonymous Anonymous, at 7:20 PM  

  • A morte sem peso, a decisão do suicídio sem dramatismos, sem grandes alaridos mistificadores, um excelente sentido de humor. Ainda bem que não sou eu a ter de decidir... isto é difícil.

    By Blogger maria l. duarte (secret), at 4:20 PM  

Post a Comment

<< Home


 

referer referrer referers referrers http_referer